sexta-feira, 21 de julho de 2017

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Próximo Filme

Paterson (2016) de Jim Jarmusch

20 Julho
Paterson (2016)
de Jim Jarmusch

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Próximo Filme

Eldorado XXI (2016) de Salomé Lamas

13 Julho
Eldorado XXI (2016)
de Salomé Lamas


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Próximo Filme

A Tribo - Plemya (2014) de Myroslav Slaboshpytskyi

6 Julho
A Tribo - Plemya (2014)
de Myroslav Slaboshpytskyi

sexta-feira, 30 de junho de 2017

2 Julho 2017

Domingo - Sessão #1362
16h Cine-Teatro Garrett

O Poder da Música - Of Mind and Music (2014) de Richie Adams


O Cineclube Octopus gostaria de informar da sessão especial que se realizará excepcionalmente a um domingo, dia 2 de julho, às 16:00, no Cine-Teatro Garrett.

Em parceria com o Centro Hospitalar Póvoa de Varzim - Vila do Conde, o Cineclube poveiro exibe o filme “O Poder da Música” de Richie Adams (EUA - 98 min.), organizando no final da sessão uma tertúlia com a presença do próprio ator protagonista, o português Joaquim de Almeida, e com o médico psiquiatra do Centro Hospitalar, Dr. Nuno Campeão.

A tertúlia será moderada pelo jornalista da RTP, Mário Augusto, que para além cinema colocará o foco na temática do filme: a música, a saúde mental e, mais em concreto, a doença de Alzheimer. Da qual o ator Joaquim de Almeida dará também um testemunho muito pessoal e doloroso acerca da vivência com esta doença.

Como acreditamos que esta é uma oportunidade única e excelente para se assistir a uma sessão do Cineclube Octopus mas, mais ainda, para se ganhar consciência sobre a realidade desta doença silenciosa que afeta mais gente do que se imagina, convocamos todos os poveiros para assistirem ao filme e para ouvirem os ilustres convidados.


O Poder da Música - Of Mind and Music (2014) de Richie Adams

O Poder da Música - Of Mind and Music (2014)
de Richie Adams
com Joaquim de Almeida, Ruth Negga, Aunjanue Ellis, Bill Cobbs
98 min, EUA
Drama, M/12
crítica: Hollywood Reporter, LaWeekly, ReelFilm
imprensa: Rtp, Sic, Radio Renascença

sinopse:
Álvaro Cruz  (Joaquim de Almeida) é um neurologista conceituado que assistiu ao lento e inexorável deteriorar da saúde mental da sua mãe, doente de Alzheimer. Apesar de todos os esforços, nenhuma das suas pesquisas puderam impedir o terrível desfecho. Quando ela morre, ele vê-se a deambular pela cidade de Nova Orleães (EUA), encontrando consolo nas músicas que vai ouvindo pelas ruas. Lá ele fica particularmente fascinado com dois artistas muito especiais: Una Vida (Aunjanue Ellis), uma cantora de alguma idade cuja voz cativante parece vir de um outro mundo; e Stompleg (Bill Cobbs), o velho e prodigioso guitarrista que a acompanha. Ao regressar, dia após dia, para os ouvir, Cruz apercebe-se que Una Vida, tal como a sua mãe, sofre de Alzheimer e que os seus sintomas se atenuam sempre que partilha a sua música. Curioso e emocionalmente ligado àquele caso, decide ajudá-la…
Realizado por Richie Adams (“Inventing Adam”), um filme dramático sobre a demência que se baseia no romance homónimo de Nicolas Bazan, um neurocientista especializado no tema que, ao lado de Adams, também participa no argumento. [ PÚBLICO ]

Programação Julho 2017

2 Julho (domingo, 16h)
O Poder da Música - Of Mind and Music (2014)
de Richie Adams

O Poder da Música - Of Mind and Music (2014) de Richie Adams


6 Julho
A Tribo - Plemya (2014)
de Myroslav Slaboshpytskyi



13 Julho
Eldorado XXI (2016)
de Salomé Lamas

Eldorado XXI (2016) de Salomé Lamas


20 Julho
Paterson (2016)
de Jim Jarmusch

Paterson (2016) de Jim Jarmusch


27 Julho
Eu Não Sou o Teu Negro - I am Not Your Negro (2017)
de Raoul Peck

Eu Não Sou o Teu Negro - I am Not Your Negro (2017) de Raoul Peck

27 Julho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1366
21h45 Cine-Teatro Garrett

Eu Não Sou o Teu Negro - I am Not Your Negro (2017) de Raoul Peck


Eu Não Sou o Teu Negro - I am Not Your Negro (2017)
de Raoul Peck
com Samuel L. Jackson, James Baldwin, Dick Cavett
93 min, EUA
Documentário, M/12
nomeado para Oscar Melhor Documentário
crítica: NYTimes, Slant, Público [JM], Público [LMO], DN, ÀPaladeWalsh

Eu Não Sou o Teu Negro - I am Not Your Negro (2017) de Raoul Peck

sinopse:
Em 1979, o poeta e ensaísta James Arthur Baldwin (1924-1987) iniciou "Remember This House", um trabalho biográfico sobre Medgar Evers (1925-1963), Malcolm X (1925-1965) e Martin Luther King Jr. (1929-1968), os três maiores líderes negros da década de 1960 nos EUA, todos eles assassinados. A obra analisava a história do racismo, assim como o tratamento dado às minorias em território norte-americano. Baldwin morreu de cancro do estômago antes de a finalizar. O manuscrito inacabado foi confiado ao realizador haitiano Raoul Peck que, combinando textos e imagens de arquivo em que o autor expôs os seus pensamentos, decidiu fazer um documentário sobre o tema. Narrado pelo actor Samuel L. Jackson, "Eu Não Sou o Teu Negro" é uma reflexão sobre as lutas históricas pela igualdade de direitos e a forma como o tema se mantém actual e pertinente no contexto do século XXI. Estreado no Festival de Cinema de Toronto (Canadá), foi nomeado para o Óscar de Melhor Documentário. [ PÚBLICO ]


20 Julho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1365
21h45 Cine-Teatro Garrett

Paterson (2016) de Jim Jarmusch

Paterson (2016)
de Jim Jarmusch
com Adam Driver, Golshifteh Farahani, Helen-Jean Arthur
118 min, EUA / Alemanha / França
Drama, M/12
selecção oficial Festival Cannes
crítica: Sight and SoundNYTimes, Slant, Público [LMO], DN, ÀpaladeWalsh

Paterson (2016) de Jim Jarmusch

sinopse:
Paterson trabalha como motorista de autocarro na cidade de Paterson, em Nova Jérsia (EUA). A sua rotina diária é sempre igual: acorda exactamente à mesma hora, vai trabalhar, regressa para os braços de Laura, a namorada, passeia Marvin, o cão, bebe uma única cerveja no bar de um amigo e escreve poesia, não necessariamente por esta ordem. A sua vida é tranquila e a sua existência discreta. Paterson está apaixonado por Laura e ela por ele. Ele apoia os sonhos e projectos mais arrojados da namorada; ela incentiva-o e inspira-o na escrita dos seus poemas. É assim todos os dias. Escrito e realizado por Jim Jarmusch – o aclamado realizador de "Noite na Terra", "Homem Morto", "Café e Cigarros", "Broken Flowers - Flores Partidas", "Os Limites do Controlo", "Só os Amantes Sobrevivem" ou "Gimme Danger" –, e com Adam Driver e Golshifteh Farahani como protagonistas, um filme melancólico sobre as incontáveis rotinas de um casal durante os sete dias de uma semana. [ PÚBLICO ]

13 Julho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1364
21h45 Cine-Teatro Garrett

Eldorado XXI (2016) de Salomé Lamas


Eldorado XXI (2016)
de Salomé Lamas
125 min, Portugal
Documentário, M/12
selecção oficial Festival Berlim
vencedor melhor filme festival Porto/Post/Doc
crítica: Público [JM], Público [LMO], DN, DN, Expresso, ÀPaladeWalsh, ÀPaladeWalsh

Eldorado XXI (2016) de Salomé Lamas

sinopse:
Situada nos Andes peruanos, 5100 metros acima do nível do mar, La Rinconada é a povoação mais alta do mundo. Devido à sua localização, o clima é agreste, com uma temperatura média anual a rondar os 1,2 graus centígrados. Com uma mina de ouro nas proximidades, vive a triste ilusão do "eldorado". Motivados pela esperança ou pelo desespero, e com a súbita subida de preço do ouro nos últimos anos, muitos peruanos rumam até lá, acreditando que o sacrifício os ajudará a enriquecer e a mudar de vida. Mas a cidade cresceu desordenadamente, sem infra-estruturas básicas que possam proporcionar uma existência condigna. Este documentário descreve simultaneamente os sonhos e a miséria dos milhares de pessoas que ali habitam. Segunda longa-metragem de Salomé Lamas ("Terra de Ninguém"), "Eldorado XXI" foi estreada internacionalmente no Festival de Cinema de Berlim e venceu a terceira edição do Porto/Post/Doc. [ PÚBLICO ]


6 Julho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1363
21h45 Cine-Teatro Garrett



A Tribo - Plemya (2014)
de Myroslav Slaboshpytskyi
com Hryhoriy Fesenko, Yana Novikova, Rosa Babiy
126 min, Holanda/Ucrânia
M/18, Drama, Crime
vencedor 3 prémios no Festival de Cannes
vencedor prémio Melhor Primeira Obra no London Film Festival
crítica: Sight and Sound, NYTimes, Slant, ÀPaladeWalsh

A Tribo - Plemya (2014)

sinopse:
Num colégio interno para surdos-mudos há toda uma hierarquia de crime e corrupção, com roubo e prostituição à mistura, a que o jovem Sergey (Grigoriy Fesenko) é exposto quando chega e na qual tenta encontrar o seu lugar. Sem diálogos audíveis, com tudo falado em língua gestual ucraniana, usa o som e a imagem para contar a sua história de uma maneira a que poucos filmes actuais recorrem. Este filme marca a estreia de Myroslav Slaboshpytskyi, que o escreveu e realizou, em longas-metragens. [ PÚBLICO ]


sexta-feira, 9 de junho de 2017

14 Junho de 2017

Quarta-feira - Sessão #1361
21h45 Cine-Teatro Garrett

A Cidade Perdida de Z (2016)
de James Gray
com Charlie HunnamTom HollandRobert PattinsonSienna Miller
140 min, EUA
M/12, Aventura, Biografia
crítica: Público [LMO]Público [VC]DNÀ Pala de WalshThe GuardianC7NEMA


Em 1906, o inglês Percy Fawcett (1867-1925) inicia uma série de expedições à América do Sul. A princípio, as missões destinavam-se a cartografar as fronteiras entre a Bolívia e outros países, seguindo o curso dos afluentes do Amazonas para a Royal Geographic Society; mais tarde, como entusiasta da antropologia – ciência que dava os primeiros passos–, queria compreender a fundo as culturas indígenas. Fawcett era, simultaneamente, um visionário e um homem obcecado com a ideia de descobrir, em pleno século XX, as extraordinárias cidades de que falavam os conquistadores espanhóis que primeiro chegaram às Américas. Em 1925, depois de muitas partidas e regressos a Inglaterra, convidou Jack, o filho mais velho, para o acompanhar numa missão em busca da chamada "cidade perdida de Z". Cruzando lendas antigas com o estudo de vários registos históricos, convenceu-se que se situava algures na Serra do Roncador, no Mato Grosso (Brasil). Antes de partir na que se tornaria a sua derradeira expedição, deixou uma nota a dizer que, caso não regressasse, ninguém o deveria tentar resgatar. A sua última mensagem foi recebida a 29 de Maio de 1925, quando telegrafou à mulher explicando que ia entrar num território inexplorado, na companhia de Jack e de Raleigh Rimmell, um amigo. Depois disso, nunca mais ninguém teve notícias. Durante décadas, foram organizadas expedições de resgate, sem sucesso. A região onde supostamente existiria Z continua hoje praticamente inexplorada.

Adaptação ao grande ecrã da obra de não-ficção escrita pelo jornalista norte-americano David Grann, um filme que relata as aventuras do explorador inglês Percy Fawcett. A realização e o argumento ficam a cargo de James Gray ("Viver e Morrer em Little Odessa", "A Emigrante"). O elenco conta com Charlie Hunnam, Robert Pattinson, Sienna Miller, Tom Holland e Matthew Sunderland, entre outros. PÚBLICO




domingo, 4 de junho de 2017

8 Junho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1360
21h45 Cine-Teatro Garrett
Neruda (2016)
de Pablo Larraín
com Gael García BernalLuis GneccoMercedes Morán
107 min, ESP/FRA/EUA/ARG/Chile
M/12, Drama, Biografia
crítica: Público [VC]Público [JM]DNC7NEMAThe GuardianSight and Sound


Chile, 1948. No Congresso, o senador Ricardo Eliécer Neftalí Reyes Basoalto (Luis Gnecco) – também conhecido por Pablo Neruda, o seu pseudónimo literário – critica ferozmente o Governo e a sua repressão anticomunista. Por esse motivo, o presidente Gabriel González Videla (Alfredo Castro) exige a sua destituição imediata e inicia uma perseguição. Neruda e a mulher, a pintora Delia del Carril (Mercedes Morán), refugiam-se sob nomes falsos no sul do país. No seu encalço, para onde quer que se movam, têm o temível inspector Óscar Peluchonneau (Gael García Bernal). Esta perseguição acaba por se transformar num jogo quase divertido, em que Neruda deixa pistas ao seu inimigo, à medida que se reinventa como personagem literária e também como símbolo de liberdade...

Assinado pelo realizador chileno Pablo Larraín ("Tony Manero", "Post Mortem", "O Clube"), segundo um argumento de Guillermo Calderón, um filme policial onde a verdade se mistura com a ficção. Nas palavras de Larraín, este é "mais um filme ‘nerudiano' do que um filme sobre Neruda, a menos que, eventualmente, tenhamos feito ambos. Seja como for, 'escrevemos' um romance. Um romance que gostaríamos que Neruda tivesse lido". PÚBLICO



terça-feira, 30 de maio de 2017

1 Junho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1359
21h45 Cine-Teatro Garrett
São Jorge (2016)
de Marco Martins
com Nuno LopesMariana NunesDavid SemedoGonçalo WaddingtonBeatriz BatardaJosé RaposoJean-Pierre Martins
112 min, POR
M/14, Drama
Vencedor do Prémio Orizzonti para Melhor Actor no Festival de Veneza para o actor Nuno Lopes.
crítica: Público [VC]DNC7NEMAExpressoSAPOmag



Jorge (Nuno Lopes) é um pugilista desempregado que tenta a todo o custo encontrar formas de garantir o sustento de Susana e Nelson (Mariana Nunes e David Semedo, respectivamente), a mulher e filho. Quando ela, emigrante brasileira, decide fugir da crise financeira que se instalou em Portugal e regressar ao seu país, Jorge fica sem saber o que fazer. Como último recurso, aceita um trabalho numa empresa de cobrança de dívidas. Usando o seu corpo treinado para a luta corpo a corpo, passa a intimidar pessoas que, tal como ele, se encontram numa situação desesperada. De um momento para o outro, vê-se a atravessar a fronteira da moralidade e a entrar num mundo de criminalidade gerada pela pobreza e pela falta de alternativas...

Terceira longa-metragem de Marco Martins – depois de "Alice" (2005), também protagonizada por Nuno Lopes, e de "Como Desenhar Um Círculo Perfeito" (2009) –, um filme dramático sobre os anos de intervenção da "troika" em Portugal, cuja acção se desenrola nos bairros da Bela Vista (Setúbal) e Jamaica (Seixal). O actor Nuno Lopes recebeu o Prémio Orizzonti para Melhor Actor no Festival de Veneza pela sua interpretação. PÚBLICO


sexta-feira, 28 de abril de 2017

Programação Maio 2017

4 Maio
T2: Trainspotting
de Danny Boyle

T2: Trainspotting de Danny Boyle


11 Maio
Aquarius
de Kleber Mendonça Filho

Aquarius de Kleber Mendonça Filho


18 Maio
A Criada
de Park Chan-wook

A Criada de Park Chan-wook

25 Maio
Ama-San
de Cláudia Varejão

Ama-San de Cláudia Varejão

25 Maio de 2017

Quinta-feira - Sessão #1358
21h45 Cine-Teatro Garrett
Ama-san (2016) de Cláudia Varejão

Ama-san (2016)
de Cláudia Varejão
com Matsumi KoisoMayumi Mitsuhashi, Masumi Shibahara
103 min, POR/JAP
M/12, Documentário
Vencedor do Prémio de Melhor Filme da Competição Portuguesa no Doclisboa 2016
crítica: Público [LMO]DNÀ PALA DE WALSHC7NEMA
Menção honrosa no Festival Karlovy Vary Film Festival '16, Prémio Especial pela Fundação BELLONA, Melhor Filme na Competição Extra Muros do festival Pravo Ljudski 2016, Prémio Teenage do Porto/Post/Doc 2016, Melhor Filme no festival Play-Doc 2017.

Ama-san (2016) de Cláudia Varejão


sinpose:
Em terras japonesas, uma "ama", que significa literalmente "pessoa do mar", é uma mergulhadora que se dedica à recolha de abalones, algas, pérolas e outros tesouros marinhos. Esta prática ancestral leva mulheres de várias idades a mergulhar no mar em apneia, sempre sem ajuda de botijas de oxigénio, conseguindo manter-se com a respiração suspensa até dois a três minutos. Após a submersão, cada uma delas regressa a casa, onde prossegue o seu dia-a-dia, tal como qualquer outra mulher da vila. Apesar de bastante perigosa, esta actividade assegura-lhes a sua subsistência e das suas famílias, dando-lhes alguma independência financeira e tornando-as parte de uma estrutura familiar semimatriarcal, incomum na cultura japonesa de outros tempos.

Este documentário, assinado por Cláudia Varejão ("No Escuro do Cinema Descalço os Sapatos"), acompanha Matsumi, Mayumi e Masumi, três mulheres ama de gerações distintas a viver numa pequena vila piscatória japonesa. Estreado no Festival Visions du Réel (Paris), "Ama-San" ganhou o prémio de Melhor Filme da Competição Portuguesa no Doclisboa 2016. [ PÚBLICO ]


18 Maio de 2017

Quinta-feira - Sessão #1357
21h45 Cine-Teatro Garrett
A Criada - Ah-ga-ssi (2016) de Park Chan-wook

A Criada Ah-ga-ssi (2016)
de Park Chan-wook
com Ha Jung-wooKim Min-hee
144 min, Coreia do Sul
M/18, Drama, Thriller, Romance
crítica: Sight and SoundNYTimesSlantPúblico [JM]DNÀ PALA DE WALSH

A Criada - Ah-ga-ssi (2016) de Park Chan-wook

sinopse:
Década de 1930. A Coreia encontra-se subjugada ao Japão. Sook-Hee é contratada como empregada de Hideko, uma jovem órfã japonesa que é a única herdeira de uma grande fortuna. Desde a tragédia da morte dos mais que tem como tutor Kouzuki, um tio autoritário e dominador. Mas Sook-Hee não está ali por acaso. Ela é aliada de Fujiwara, um vigarista que tem um plano malicioso: conquistar o coração de Hideko, casar-se com ela e colocá-la num hospício. Mas tudo muda quando uma amizade inesperada surge entre as duas raparigas, que rapidamente se transforma em algo mais…
Um "thriller" erótico, realizado pelo sul-coreano Park Chan-wook ("Oldboy - Velho Amigo", "Vingança Planeada", "Thirst - Este É o Meu Sangue..."), que se baseia no romance "Fingersmith", da britância Sarah Waters. O elenco inclui Kim Min-hee, Kim Tae-ri, Ha Jung-woo e Cho Jin-woong. [ PÚBLICO ]




11 Maio de 2017

Quinta-feira - Sessão #1356
21h45 Cine-Teatro Garrett

Aquarius (2016)
de Kleber Mendonça Filho
com Sonia BragaMaeve JinkingsIrandhir Santos
142 min, BRA/FRA
M/16, Drama
crítica: Sight and SoundNYTimesSlantPúblico [VC]DNÀ PALA DE WALSH


sinopse:
Clara é uma sexagenária viúva que vive no edifício Aquarius, situado na zona nobre da Avenida Boa Viagem, no Recife (Brasil). Foi ali que partilhou a vida com o marido, viu crescer os seus três filhos e passou a época mais marcante da sua existência. Com o intuito de construir um condomínio mais moderno naquele mesmo lugar, a Construtora Bonfim conseguiu adquirir todos os apartamentos do prédio, excepto o dela. E, por mais que Clara afirme que não existe preço que a faça vender o seu, acaba por se ver constantemente pressionada a mudar de ideias. Até que, cansada de ser atormentada, resolve retaliar…
Estreado na 69.ª edição do Festival de Cinema de Cannes, onde concorreu à Palma de Ouro, um filme dramático com realização e argumento de Kleber Mendonça Filho ("O Som ao Redor") e co-produção de Walter Salles (realizador de "Central do Brasil", "Abril Despedaçado", "Diários de Che Guevara", "Linha de Passe" ou "Pela Estrada Fora"). O elenco inclui Sônia Braga, Humberto Carrão, Maeve Jinkings e Irandhir Santos. [ PÚBLICO ]





4 Maio de 2017

Quinta-feira - Sessão #1355
21h45 Cine-Teatro Garrett

T2: Trainspotting (2017) de Danny Boyle

T2: Trainspotting (2017)
de Danny Boyle
com Kelly MacdonaldEwan McGregorRobert CarlyleJonny Lee MillerEwen Bremner
117 min, GB
M/16, Drama
crítica: Sight and SoundNYTimesSlantPúblico [JM]DN

T2: Trainspotting (2017) de Danny Boyle

sinopse:
Depois de 20 anos de ausência, Mark Renton regressa a Edimburgo (Escócia), a cidade onde passou a infância e juventude. Livre das drogas, hoje é um homem novo, com um emprego estável em Amsterdão (Holanda) e um futuro promissor. Os amigos com quem cresceu, pelo contrário, não tiveram a mesma sorte: Sick Boy tenta manter um negócio ao mesmo tempo que se dedica ao tráfico de canábis; Begbie cumpre 25 anos de prisão; e Spud, com a vida totalmente destruída, continua dependente da heroína. Agora, as suas existências seguem uma premissa bastante diferente de outrora: "Escolhe a vida. Escolhe o Facebook, o Twitter, o Instagram e fica à espera que alguém num sítio qualquer se importe. Escolhe ir à procura de paixões antigas e desejar que tivesses feito tudo de maneira diferente. E escolhe ver a história a repetir-se. Escolhe um iPhone feito na China por uma operária que saltou do telhado. Escolhe um contrato de zero horas e duas horas de viagem para o trabalho. E escolhe o mesmo para os teus filhos, só que pior, e apaga a dor com uma dose desconhecida de uma droga desconhecida improvisada numa cozinha qualquer. Escolhe a desilusão."

Em 1996, Danny Boyle realizou "Trainspotting", um filme baseado na aclamada primeira obra de Irvine Welsh que, apesar da controvérsia, se transformou numa obra cinematográfica de culto. À época, a banda sonora – com Lou Reed, David Bowie, Brian Eno, Iggy Pop, Blur, Primal Scream e muitos outros – teve quase tanto êxito como o filme. Agora, o realizador regressa com a segunda parte da história. Ewan McGregor, Ewen Bremner, Jonny Lee Miller, Robert Carlyle e Kelly Macdonald voltam a dar vida aos seus personagens. [ PÚBLICO ]



segunda-feira, 3 de abril de 2017

Programação Abril 2017

6 Abril
Toni Erdmann
de Maren Ade



7 Abril (Sessão Especial)
Paula Rego, Histórias e Segredos
de Nick Willing


+

Hompesch Chez Moi
de Sara Marques




13 Abril
O Primeiro Encontro
de Denis Velleneuve



20 Abril
Mulheres do Século XX
de Mike Mills



27 Abril
A Toca do Lobo
de Catarina Mourão


27 Abril de 2017

Sexta-feira - Sessão #1354
21h45 Cine-Teatro Garrett

A Toca do Lobo (2015) de Catarina Mourão

A Toca do Lobo (2015)
de Catarina Mourão 
102 min, Portugal
Documentário, M/12
vencedor Prémio do Público Indielisboa 2015
crítica: Público [JM], Público [LMO], DN, ÀPaladeWalsh

A Toca do Lobo (2015) de Catarina Mourão

sinopse:
O escritor Tomaz Xavier de Azevedo Cardoso de Figueiredo nasce em Braga, a 6 de Julho de 1902. Pouco depois, a família muda-se para a Casa de Casares, construída pelo seu avô materno em Arcos de Valdevez. Aos 12 anos vai para o Colégio dos Jesuítas, em La Guardia (Galiza, Espanha) e, em 1920, ingressa no Curso de Ciências Jurídicas, em Coimbra. Em 1930, já casado, vai para Tarouca como notário. Mais tarde passa pela Nazaré, Ponte da Barca e Estarreja. Durante a década de 1950, é-lhe diagnosticada doença psiquiátrica, que o obriga a internamento hospitalar. O seu romance "A Toca do Lobo", Prémio Eça de Queiroz em 1948, em que o escritor revive a sua infância e juventude, dá nome a este filme realizado por Catarina Mourão ("Desassossego", "À Flor da Pele", "Pelas Sombras"), sua neta. O que começou como um projecto de doutoramento na Universidade de Edimburgo (Escócia) transformou-se num documentário transgeracional sobre a sua própria família. O momento decisivo para a sua realização aconteceu com a descoberta de um programa de televisão nos arquivos da RTP sobre Tomaz de Figueiredo, que ela nunca conheceu mas que parece falar-lhe directamente. "Aí foi o momento em que eu disse: este filme tem de ser sobre o meu avô. Porque senti que, de uma forma quase fantasmagórica, ele me estava a convocar para fazer este filme. Na história, narrada na primeira pessoa pela realizadora, "passado, presente e futuro estão todos juntos ali como se fossem um só", resume. [ PÚBLICO ]

20 Abril de 2017

Sexta-feira - Sessão #1353
21h45 Cine-Teatro Garrett

Mulheres do Século XX - 20th Century Women (2016) de Mike Mills

Mulheres do Século XX - 20th Century Women (2016)
de Mike Mills
com Annette Bening, Elle Fanning, Greta Gerwig
118 min, EUA
M/12, Comédia Dramática
nomeado para Oscar Melhor Argumento
nomeado para Globo de Ouro de Melhor Actriz
crítica: Sight and Sound, NYTimes, SlantPúblico [JM], DN

Mulheres do Século XX - 20th Century Women (2016) de Mike Mills

sinopse:
EUA, finais da década de 1970. Dorothea Fields é uma mãe solteira de 55 anos que se esforça por educar Jamie, o filho de 15 anos, numa altura de grandes mudanças sociais e culturais. Apesar das dificuldades, terá a ajuda de duas mulheres muito diferentes de si mas com quem acaba por criar fortes laços de amizade: Abbie, uma artista punk que arrenda um quarto em sua casa; e Julie, uma adolescente inteligente e provocadora que vê o mundo de uma forma muito especial. As três vão ajudar Jamie a crescer, mostrando a sua visão sobre as mulheres, os relacionamentos ou a vida em si mesma. Escrita e realizada por Mike Mills, e candidata ao Óscar de Melhor Argumento Original, uma comédia dramática sobre o sentido da existência que se inspira na vida da própria mãe do realizador – da mesma forma que "Assim É o Amor" (2010), o seu filme anterior, se inspirara na do pai. O elenco conta com a participação de Elle Fanning, Greta Gerwig, Lucas Jade Zumann, Billy Crudup e Annette Bening que, com esta interpretação, foi nomeada para o Globo de Ouro de Melhor Actriz num Musical ou Comédia. [ PÚBLICO ]

13 Abril de 2017

Sexta-feira - Sessão #1352
21h45 Cine-Teatro Garrett

O Primeiro Encontro - Arrival (2016) de Denis Villeneuve

O Primeiro Encontro - Arrival (2016)
de Denis Villeneuve
com Amy Adams, Jeremy Renner, Michael Stuhlbarg, Forest Whitaker
116 min., EUA
M/14, Drama, Ficção Científica
nomeado para 8 Oscares
selecção oficial Festival Veneza
crítica: Sight and Sound, NYTimes, Slant, Público [JM], DN, ÀPaladeWalsh

O Primeiro Encontro - Arrival (2016) de Denis Villeneuve

sinopse:
A Terra é invadida por uma espécie extraterrestre. Enormes naves espaciais fixam-se em vários pontos do globo. Sem saber o que esperar, cientistas, governantes e pessoas comuns estão de respiração suspensa. Pode estar iminente uma guerra de proporções nunca vistas. Uma equipa de especialistas quer, antes de qualquer tomada de posição, compreender as verdadeiras motivações dos alienígenas. É então que Louise Banks, uma das mais conceituadas linguistas do mundo, é chamada a tentar uma abordagem amistosa com os invasores. Talvez ela, com a ajuda do matemático Ian Donnelly e do Coronel GT Weber, consiga encontrar uma linguagem que possa ser descodificada por ambas as espécies, criando uma ponte de compreensão mútua. Mas o risco de fracassar é elevadíssimo e pode colocar em causa a extinção da raça humana… Baseado num conto de Ted Chiang, um filme de ficção científica com realização de Denis Villeneuve ("Raptadas", "O Homem Duplicado", "Sicário - Infiltrado") e argumento de Eric Heisserer. "O Primeiro Encontro" conta com os actores Amy Adams, Jeremy Renner, Forest Whitaker, Michael Stuhlbarg e Tzi Ma. [ PÚBLICO ]

sexta-feira, 31 de março de 2017

7 Abril de 2017

Sexta-feira - Sessão #1351
21h45 Cine-Teatro Garrett

Paula Rego, Histórias e Segredos (2016) de Nick Willing (90min.)
+
Hompesch Chez Moi (2016) de Sara Marques (35min.)


Paula Rego, Histórias e Segredos (2016)
de Nick Willing
90 min, Reino Unido
documentário
imprensa: Jornal Notícias, Sábado, Observador



“Paula Rego, Histórias e Segredos” - Filme sobre Paula Rego realizado pelo cineasta Nick Willing, filho da artista plástica, no qual se revela pela primeira vez histórias e segredos da sua vida excepcional, uma vida de luta contra o fascismo, um mundo da arte misógino e a depressão. 
O filme terá estreia nos cinemas a 6 de Abril com um conjunto de iniciativas de homenagem a uma das grandes artistas portuguesas contemporâneas.

sinopse:
Conhecida por ser muito ciosa da sua privacidade, Paula Rego revela-se pela primeira vez neste filme, surpreendendo o seu filho, o cineasta Nick Willing, com histórias e segredos da sua vida excepcional, uma vida de luta contra o fascismo, um mundo da arte misógino e a depressão. Nascida em Portugal, um país sobre o qual o pai lhe disse que não era bom para as mulheres, Rego usou as suas imagens poderosas como uma arma contra a ditadura antes de se estabelecer em Londres, onde continuou a abordar questões sobre a situação da mulher como o direito ao aborto. Mas, acima de tudo, as suas pinturas são um vislumbre críptico sobre um mundo íntimo de tragédia pessoal, fantasias perversas e verdades constrangedoras. Nick Willing combina um grande arquivo de filmes caseiros e fotografias de família com entrevistas que percorrem 60 anos de vida e imagens de Rego a trabalhar no seu estúdio. E o resultado é um poderoso retrato pessoal da vida e obra de uma artista cujo legado vai sobreviver ao tempo, ilustrado visualmente em pastel, carvão e tinta a óleo.



+

Hompesch Chez Moi (2016)
de Sara Marques
35 minutos, Portugal
https://www.facebook.com/hompeschchezmoi

Hompesch Chez Moi (2016) de Sara Marques

Filme realizado no âmbito do mestrado de Comunicação Audiovisual da ESMAE por Sara Marques, foi um dos selecionados para os Prémio Sophia Estudante, na categoria documentário, onde ficou classificado em 2º lugar, na 3ª edição do prémio.

sinopse:
Daniel Hompesch, pintor belga, a residir em Portugal há mais de 20 anos, recebeu, em 2015, a notícia de um cancro incurável. A sua rotina sofreu alterações, nomeadamente o lado artístico. Com consequências a nível físico, o cancro fez com que a criação das suas obras demorasse mais tempo. No entanto, a relação amorosa que mantém com a sua companheira atual, mãe da realizadora deste filme, é o apoio que necessita para ultrapassar os piores momentos.