quarta-feira, 21 de junho de 2017

Próximo Filme



dia 22 e 29 de Junho não se realizam sessões.

2 Julho - Domingo 16h
O Poder da Música - Of Mind and Music (2014)
de Richie Adams

com a presença de Joaquim de Almeida.

O Cineclube Octopus gostaria de informar da sessão especial que se realizará excepcionalmente a um domingo, dia 2 de julho, às 16:00, no Cine-Teatro Garrett.

Em parceria com o Centro Hospitalar Póvoa de Varzim - Vila do Conde, o Cineclube poveiro exibe o filme “O Poder da Música” de Richie Adams (EUA - 98 min.), organizando no final da sessão uma tertúlia com a presença do próprio ator protagonista, o português Joaquim de Almeida, e com o médico psiquiatra do Centro Hospitalar, Dr. Nuno Campeão.

A tertúlia será moderada pelo jornalista da RTP, Mário Augusto, que para além cinema colocará o foco na temática do filme: a música, a saúde mental e, mais em concreto, a doença de Alzheimer. Da qual o ator Joaquim de Almeida dará também um testemunho muito pessoal e doloroso acerca da vivência com esta doença.

Como acreditamos que esta é uma oportunidade única e excelente para se assistir a uma sessão do Cineclube Octopus mas, mais ainda, para se ganhar consciência sobre a realidade desta doença silenciosa que afeta mais gente do que se imagina, convocamos todos os poveiros para assistirem ao filme e para ouvirem os ilustres convidados.


2 Julho 2017

Domingo - Sessão #1362
16h Cine-Teatro Garrett

O Poder da Música - Of Mind and Music (2014) de Richie Adams


O Cineclube Octopus gostaria de informar da sessão especial que se realizará excepcionalmente a um domingo, dia 2 de julho, às 16:00, no Cine-Teatro Garrett.

Em parceria com o Centro Hospitalar Póvoa de Varzim - Vila do Conde, o Cineclube poveiro exibe o filme “O Poder da Música” de Richie Adams (EUA - 98 min.), organizando no final da sessão uma tertúlia com a presença do próprio ator protagonista, o português Joaquim de Almeida, e com o médico psiquiatra do Centro Hospitalar, Dr. Nuno Campeão.

A tertúlia será moderada pelo jornalista da RTP, Mário Augusto, que para além cinema colocará o foco na temática do filme: a música, a saúde mental e, mais em concreto, a doença de Alzheimer. Da qual o ator Joaquim de Almeida dará também um testemunho muito pessoal e doloroso acerca da vivência com esta doença.

Como acreditamos que esta é uma oportunidade única e excelente para se assistir a uma sessão do Cineclube Octopus mas, mais ainda, para se ganhar consciência sobre a realidade desta doença silenciosa que afeta mais gente do que se imagina, convocamos todos os poveiros para assistirem ao filme e para ouvirem os ilustres convidados.


O Poder da Música - Of Mind and Music (2014) de Richie Adams

O Poder da Música - Of Mind and Music (2014)
de Richie Adams
com Joaquim de Almeida, Ruth Negga, Aunjanue Ellis, Bill Cobbs
98 min, EUA
Drama, M/12
crítica: Hollywood Reporter, LaWeekly, ReelFilm
imprensa: Rtp, Sic, Radio Renascença

sinopse:
Álvaro Cruz  (Joaquim de Almeida) é um neurologista conceituado que assistiu ao lento e inexorável deteriorar da saúde mental da sua mãe, doente de Alzheimer. Apesar de todos os esforços, nenhuma das suas pesquisas puderam impedir o terrível desfecho. Quando ela morre, ele vê-se a deambular pela cidade de Nova Orleães (EUA), encontrando consolo nas músicas que vai ouvindo pelas ruas. Lá ele fica particularmente fascinado com dois artistas muito especiais: Una Vida (Aunjanue Ellis), uma cantora de alguma idade cuja voz cativante parece vir de um outro mundo; e Stompleg (Bill Cobbs), o velho e prodigioso guitarrista que a acompanha. Ao regressar, dia após dia, para os ouvir, Cruz apercebe-se que Una Vida, tal como a sua mãe, sofre de Alzheimer e que os seus sintomas se atenuam sempre que partilha a sua música. Curioso e emocionalmente ligado àquele caso, decide ajudá-la…
Realizado por Richie Adams (“Inventing Adam”), um filme dramático sobre a demência que se baseia no romance homónimo de Nicolas Bazan, um neurocientista especializado no tema que, ao lado de Adams, também participa no argumento. [ PÚBLICO ]

sexta-feira, 9 de junho de 2017

14 Junho de 2017

Quarta-feira - Sessão #1361
21h45 Cine-Teatro Garrett

A Cidade Perdida de Z (2016)
de James Gray
com Charlie HunnamTom HollandRobert PattinsonSienna Miller
140 min, EUA
M/12, Aventura, Biografia
crítica: Público [LMO]Público [VC]DNÀ Pala de WalshThe GuardianC7NEMA


Em 1906, o inglês Percy Fawcett (1867-1925) inicia uma série de expedições à América do Sul. A princípio, as missões destinavam-se a cartografar as fronteiras entre a Bolívia e outros países, seguindo o curso dos afluentes do Amazonas para a Royal Geographic Society; mais tarde, como entusiasta da antropologia – ciência que dava os primeiros passos–, queria compreender a fundo as culturas indígenas. Fawcett era, simultaneamente, um visionário e um homem obcecado com a ideia de descobrir, em pleno século XX, as extraordinárias cidades de que falavam os conquistadores espanhóis que primeiro chegaram às Américas. Em 1925, depois de muitas partidas e regressos a Inglaterra, convidou Jack, o filho mais velho, para o acompanhar numa missão em busca da chamada "cidade perdida de Z". Cruzando lendas antigas com o estudo de vários registos históricos, convenceu-se que se situava algures na Serra do Roncador, no Mato Grosso (Brasil). Antes de partir na que se tornaria a sua derradeira expedição, deixou uma nota a dizer que, caso não regressasse, ninguém o deveria tentar resgatar. A sua última mensagem foi recebida a 29 de Maio de 1925, quando telegrafou à mulher explicando que ia entrar num território inexplorado, na companhia de Jack e de Raleigh Rimmell, um amigo. Depois disso, nunca mais ninguém teve notícias. Durante décadas, foram organizadas expedições de resgate, sem sucesso. A região onde supostamente existiria Z continua hoje praticamente inexplorada.

Adaptação ao grande ecrã da obra de não-ficção escrita pelo jornalista norte-americano David Grann, um filme que relata as aventuras do explorador inglês Percy Fawcett. A realização e o argumento ficam a cargo de James Gray ("Viver e Morrer em Little Odessa", "A Emigrante"). O elenco conta com Charlie Hunnam, Robert Pattinson, Sienna Miller, Tom Holland e Matthew Sunderland, entre outros. PÚBLICO




domingo, 4 de junho de 2017

Próximo Filme


8 Junho
Neruda
de Pablo Larraín

8 Junho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1360
21h45 Cine-Teatro Garrett
Neruda (2016)
de Pablo Larraín
com Gael García BernalLuis GneccoMercedes Morán
107 min, ESP/FRA/EUA/ARG/Chile
M/12, Drama, Biografia
crítica: Público [VC]Público [JM]DNC7NEMAThe GuardianSight and Sound


Chile, 1948. No Congresso, o senador Ricardo Eliécer Neftalí Reyes Basoalto (Luis Gnecco) – também conhecido por Pablo Neruda, o seu pseudónimo literário – critica ferozmente o Governo e a sua repressão anticomunista. Por esse motivo, o presidente Gabriel González Videla (Alfredo Castro) exige a sua destituição imediata e inicia uma perseguição. Neruda e a mulher, a pintora Delia del Carril (Mercedes Morán), refugiam-se sob nomes falsos no sul do país. No seu encalço, para onde quer que se movam, têm o temível inspector Óscar Peluchonneau (Gael García Bernal). Esta perseguição acaba por se transformar num jogo quase divertido, em que Neruda deixa pistas ao seu inimigo, à medida que se reinventa como personagem literária e também como símbolo de liberdade...

Assinado pelo realizador chileno Pablo Larraín ("Tony Manero", "Post Mortem", "O Clube"), segundo um argumento de Guillermo Calderón, um filme policial onde a verdade se mistura com a ficção. Nas palavras de Larraín, este é "mais um filme ‘nerudiano' do que um filme sobre Neruda, a menos que, eventualmente, tenhamos feito ambos. Seja como for, 'escrevemos' um romance. Um romance que gostaríamos que Neruda tivesse lido". PÚBLICO



terça-feira, 30 de maio de 2017

Próximo Filme



1 Junho
São Jorge
de Marco Martins

1 Junho de 2017

Quinta-feira - Sessão #1359
21h45 Cine-Teatro Garrett
São Jorge (2016)
de Marco Martins
com Nuno LopesMariana NunesDavid SemedoGonçalo WaddingtonBeatriz BatardaJosé RaposoJean-Pierre Martins
112 min, POR
M/14, Drama
Vencedor do Prémio Orizzonti para Melhor Actor no Festival de Veneza para o actor Nuno Lopes.
crítica: Público [VC]DNC7NEMAExpressoSAPOmag



Jorge (Nuno Lopes) é um pugilista desempregado que tenta a todo o custo encontrar formas de garantir o sustento de Susana e Nelson (Mariana Nunes e David Semedo, respectivamente), a mulher e filho. Quando ela, emigrante brasileira, decide fugir da crise financeira que se instalou em Portugal e regressar ao seu país, Jorge fica sem saber o que fazer. Como último recurso, aceita um trabalho numa empresa de cobrança de dívidas. Usando o seu corpo treinado para a luta corpo a corpo, passa a intimidar pessoas que, tal como ele, se encontram numa situação desesperada. De um momento para o outro, vê-se a atravessar a fronteira da moralidade e a entrar num mundo de criminalidade gerada pela pobreza e pela falta de alternativas...

Terceira longa-metragem de Marco Martins – depois de "Alice" (2005), também protagonizada por Nuno Lopes, e de "Como Desenhar Um Círculo Perfeito" (2009) –, um filme dramático sobre os anos de intervenção da "troika" em Portugal, cuja acção se desenrola nos bairros da Bela Vista (Setúbal) e Jamaica (Seixal). O actor Nuno Lopes recebeu o Prémio Orizzonti para Melhor Actor no Festival de Veneza pela sua interpretação. PÚBLICO


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Próximo Filme


25 Maio
Ama-San
de Cláudia Varejão

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Programação Maio 2017

4 Maio
T2: Trainspotting
de Danny Boyle

T2: Trainspotting de Danny Boyle


11 Maio
Aquarius
de Kleber Mendonça Filho

Aquarius de Kleber Mendonça Filho


18 Maio
A Criada
de Park Chan-wook

A Criada de Park Chan-wook

25 Maio
Ama-San
de Cláudia Varejão

Ama-San de Cláudia Varejão

25 Maio de 2017

Quinta-feira - Sessão #1358
21h45 Cine-Teatro Garrett
Ama-san (2016) de Cláudia Varejão

Ama-san (2016)
de Cláudia Varejão
com Matsumi KoisoMayumi Mitsuhashi, Masumi Shibahara
103 min, POR/JAP
M/12, Documentário
Vencedor do Prémio de Melhor Filme da Competição Portuguesa no Doclisboa 2016
crítica: Público [LMO]DNÀ PALA DE WALSHC7NEMA
Menção honrosa no Festival Karlovy Vary Film Festival '16, Prémio Especial pela Fundação BELLONA, Melhor Filme na Competição Extra Muros do festival Pravo Ljudski 2016, Prémio Teenage do Porto/Post/Doc 2016, Melhor Filme no festival Play-Doc 2017.

Ama-san (2016) de Cláudia Varejão


sinpose:
Em terras japonesas, uma "ama", que significa literalmente "pessoa do mar", é uma mergulhadora que se dedica à recolha de abalones, algas, pérolas e outros tesouros marinhos. Esta prática ancestral leva mulheres de várias idades a mergulhar no mar em apneia, sempre sem ajuda de botijas de oxigénio, conseguindo manter-se com a respiração suspensa até dois a três minutos. Após a submersão, cada uma delas regressa a casa, onde prossegue o seu dia-a-dia, tal como qualquer outra mulher da vila. Apesar de bastante perigosa, esta actividade assegura-lhes a sua subsistência e das suas famílias, dando-lhes alguma independência financeira e tornando-as parte de uma estrutura familiar semimatriarcal, incomum na cultura japonesa de outros tempos.

Este documentário, assinado por Cláudia Varejão ("No Escuro do Cinema Descalço os Sapatos"), acompanha Matsumi, Mayumi e Masumi, três mulheres ama de gerações distintas a viver numa pequena vila piscatória japonesa. Estreado no Festival Visions du Réel (Paris), "Ama-San" ganhou o prémio de Melhor Filme da Competição Portuguesa no Doclisboa 2016. [ PÚBLICO ]